A Ao Silenciosa

Jos Gonalves Siqueira 

 14 de Nov. 1908 15 de Jan. 2007

Irmo Probacionista

Co-fundador da Fraternidade Rosacruz - Sede Central do Brasil

 

Mos, por Albrecht Drer   ( 1471-1528)

 

Durante os ltimos sculos os Irmos tm trabalhado ocultamente pela humanidade. Assim, medida que as circunstncias necessitem surge uma informao, uma pessoa como elemento necessrio para tornar fceis de sarem vividas, sem traumas ou poucos deles, aquelas ocorrncias.

 

o que ocorreu - suponho - com o Dr. Alexis Carrel nas dcadas de 30 e 40, quando escreveu "O Homem, Esse Desconhecido"! Por essa razo, acreditando que tenha havido uma correlao com o trabalho daqueles venerveis Irmos, ouso transcrever o seu artigo: "Como se deve orar"

 

Como se deve orar?

 

Aprendemos a tcnica da orao com os msticos cristos, desde S.Paulo at S.Bento incluindo essa multido de apstolos annimos que durante vinte sculos iniciaram os povos do ocidente na vida religiosa. O Deus de Plato era inacessvel na sua grandeza; o de Epieto confundia-se com a alma das coisas e Jeovah era um dspota oriental  que inspirava terror e no amor. O Cristianismo, pelo contrrio, colocou Deus ao alcance do homem Deus deu-lhe uma face; f-lo nosso Pai, nosso Irmo e nosso Salvador. Para atingir Deus, no h necessidade de um cerimonial complexo, nem de sacrifcios sangrentos. A orao tornou-se assim, fcil e sua tcnica simples.

 

Para orar, basta somente o esforo de nos elevarmos at Deus; tal esforo porm, deve ser efetivo - ou afetivo ? - e no intelectual. Uma meditao sobre a grandeza de Deus, por exemplo, no uma orao, a no ser que seja, ao mesmo tempo, uma expresso de amor e f. E assim a orao, segundo o processo de La Salle, parte de uma considerao intelectual para tornar-se efetiva .

Seja curta ou longa, seja vocal ou apenas mental, a prece deve ser semelhante conversa que uma criana tem com seu pai. "Cada um se apresenta conforme ", dizia uma pobre "Irm de caridade" que h trinta anos dedicava sua vida a servio dos pobres.

Em suma: ora-se como se ama - com todo o nosso ser.

 

Quanto forma de orao, varia desde a curta elevao a Deus at a contemplao; desde as simples palavras pronunciadas pela camponesa que se ajoelha perante a cruz na encruzilhada dos caminhos at a magnificncia do canto gregoriano sob as abbadas de uma catedral.

 

A solenidade, a grandeza e a beleza, no so necessrias para a eficcia da orao. Poucos homens tm sabido orar como S.Joo da Cruz ou como S.Bernardo de Clairvaux, no havendo necessidade de ser eloqente para ser atendido. Quando se aprecia o valor da orao por seus resultados, nossas mais humildes palavras de louvor so to aceitveis pelo Senhor de todos os seres como as mais belas invocaes. Frmulas recitadas maquinalmente so tambm, de qualquer forma, uma orao. Sucede o mesmo com a chama de um crio. Basta para isso que essas frmulas inertes e essa chama material simbolizem o arroubo de um ser humano para Deus. E tambm se ora por meio de ao, pois S.Luiz Gonzaga dizia que o cumprimento do dever equivalente a uma orao. A melhor maneira de comunicar-se com Deus, incontestavelmente, cumprir a Sua Vontade.

 

"Pai nosso, venha a ns o Vosso Reino, seja feita a Vossa Vontade, assim na Terra como nos Cus ...". Fazer a vontade de Deus consiste, evidentemente em obedecer s Leis da Vida, tais como elas se encontram gravadas em nossos tecidos, no nosso sangue e no nosso esprito.

 

As oraes que se elevam como uma pesada nuvem da superfcie da Terra, diferem tanto uma das outras como diferem as personalidades daqueles que rezam. Mas consistem em variaes sobre estes dois mesmos temas: amargura e amor. inteiramente justo implorar o auxlio de Deus para obter-se aquilo que temos necessidade; no entanto, seria absurdo pedir realizao de um capricho ou solicitar aquilo que devemos procurar com nosso prprio esforo. O pedido inoportuno, obstinado e agressivo bem sucedido. Um cego sentado beira do caminho, lanava suas splicas cada vez mais alto, apesar das pessoas que o queriam mandar calar. "A tua f te curou", disse Jesus que passava. Na sua forma mais elevada, a orao deixa de ser uma petio. O homem declara ao Senhor de todas as coisas que O ama, que lhe agradece as ddivas e que est pronto a realizar a Sua Vontade, seja qual for.

 

A contemplao tambm pode representar a orao. A um velho | campons que estava sozinho no ltimo banco da igreja vazia, perguntaram: "Que esperais?" "Olho para Ele", respondeu o homem, e "Ele olha para mim".

 

valor de uma tcnica avalia-se por seus resultados. Qualquer tcnica de orao boa quando pe o homem em contato com Deus.

Que as Rosas floresam em Vossa Cruz!

 


 

 

Rosicrucian Fellowship - International Headquarters

2222 Mission Avenue, Oceanside, CA 92058-2329, USA PO Box 713, Oceanside, CA 92049-0713, USA.
www.rosicrucian.com/main.htm

Fraternidade Rosacruz - Sede Central do Brasil . Filiada Rosicrucian Fellowship.

Rua : Asdrbal do Nascimento, 196. So Paulo - SP .
www.christianrosenkreuz.com.br/

 

HOME

LITERATURA

TEMAS ROSACRUZES

BIBLIOTECA ONLINE

 JOS GONALVES SIQUEIRA

 


[Home][Fundamentos][Atividades] [Literatura][Informaes]

Fraternidade Rosacruz Max Heindel - Centro Autorizado do Rio de Janeiro

Rua Enes de Souza, 19 Tijuca,  Rio de Janeiro, R.J. Brasil  20521-210

Telefone celular:  (21) 9548-7397

rosacruzmhrio@gmail.com

 

Filiado a The Rosicrucian Fellowship

Mt. Ecclesia, Oceanside , CA, USA

 

Todas as Marcas referidas neste website so ou podem ser marcas comerciais registradas e protegidas